Cinco boas práticas em Gamificação e o Case Flytour

As organizações fazem investimentos significativos em programas de treinamento que sejam interessantes e educativos para seus colaboradores. Alguns treinamentos são chatos e maçantes para os alunos. Das muitas das técnicas aplicadas pelas empresas para incrementar a experiência do aluno a gamificação parece ser especificamente efetiva. Gamificação é um processo que faz uso de configurações e design de jogos no treinamento corporativo.

Os benefícios de adicionar características como competição saudável, feedback imediato e premiações agregam um maior nível de engajamento entre os colaboradores. Sua implementação é diferente de empresa para empresa, mas existem boas práticas no uso da gamificação que devem ser observadas.
Seguem 5 boas práticas a considerar se você está planejando utilizar gamificação nos seus treinamentos futuros.

1) Construa com base no que os colaboradores conhecem
As gerações X e Y cresceram com tecnologia. Eles possuem uma expertise significante no uso de vídeo games e conteúdos interativos por isso é natural que eles queiram ver elementos de game num módulo de treinamento. Elementos simples de jogos podem ser escolhidos de forma que não sobrecarreguem o aluno. Incentive os colaboradores a subir um nível por vez. Uma vez que eles tenham completado um nível, reconheça seu sucesso e os incentive a continuar. Alunos que vêm progresso vão aderir ao aprendizado gamificado.

2) Trazer incentivos para a aprendizagem
Motivação faz maravilhas com os colaboradores. Se você recompensar o aluno por completar ou dominar a primeira habilidade, pode estar seguro que ele vai se motivar para ir para o próximo nível. Gamificação no treinamento traz os métodos de incentivos e reconhecimento dos jogos. Uma coisa é aprender novas habilidades, outra é ser reconhecido por aprende-las. Gamificação é um ótimo método de construir uma competição saudável ao mesmo tempo que os colaboradores têm a oportunidade de trabalhar em seus objetivos individuais. Rankings e tabelas de classificação incentivam a competição saudável junto com o aprendizado.

3) Use os rankings para acompanhar o progresso dos colaboradores
As pessoas gostam de vencer. Esta característica humana é utilizada no aprendizado gamificado. Os rankings permitem acompanhar os desempenhos individuais e fazer comparações. A competição leva cada aluno para o topo do ranking. Tenha foco na experiência do aluno. O jogo não pode ser nem tão fácil nem muito difícil. Você precisa evitar que os colaboradores tenham uma associação negativa com a aprendizagem gamificada. Construindo níveis de habilidades e expertises variados, os colaboradores vão ter um aprendizado divertido e vão continuar seu progresso.

4) Faça com que todos saibam quem são os experts
A gamifcação é um ótimo caminho para identificar os pontos fortes individuais dos colaboradores. Equipes de gerenciamento podem identificar quem é o expert de conhecimento em determinado assunto e recompensá-lo por isto. A técnica também ajuda a identificar que assuntos interessam aos experts. Reconhecer e recompensar os colaboradores é um meio de incrementar a satisfação, produtividade e a retenção.

5) Quebre processos complexos em pedaços menores
Se você está ensinando um processo complexo, há possibilidade de sobrecarregar seus colaboradores. A gamificação pode ajudar a simplificar bastante o aprendizado quebrando o processo e o conteúdo em partes menores. Vá devagar. Permita que o aluno absorva o nível de conteúdo de forma inteligente. Eles não vão se sentir intimidados se forem capazes de aprender e digerir a informação em partes menores.

Um de nossos clientes, a Flytour, implementou um programa de treinamento gamificado com o objetivo de buscar a especialização e fortalecer os pilares de sua cultura. Em 2017 a Flytour adotou o LMS Konviva como plataforma na Academia Flytour. Entre colaboradores, franqueados e clientes são capacitadas, em média, 20 mil pessoas por ano. “Cada pessoa participa ao menos de 11 treinamentos por ano. Isto mostra que faz parte da nossa cultura cultivar um ambiente que estimula o desenvolvimento da nossa gente”, diz Adriana de Carvalho, responsável pela Academia Flytour. Segundo Adriana, a produtividade do grupo aumentou em quase 27% só em 2017.

A Academia Flytour conta hoje com mais de 400 cursos. Todo curso ou avaliação está relacionado a uma especialização. Quando o colaborador conclui vários de uma mesma categoria, recebe uma Medalha de Especialista. As medalhas estão relacionadas aos pilares da Cultura Flytour. Ao conquistar todas as medalhas de um mesmo pilar o colaborador recebe o Brasão de Embaixador da Cultura. No total são 13 especializações e 5 brasões.

A gamificação permitirá a criação de comunidades com membros que se afiliam por especialização, além de promover competições por meio de rankings com os profissionais considerados “expert”. Estes colaboradores poderão contribuir com conteúdos específicos para tornar a ferramenta um banco de conhecimentos compartilhado.

Além das medalhas e brasões, todo curso ou avaliação acumula pontos “Flys” que poderão ser trocados por prêmios na Flystore. Os participantes podem acompanhar a sua performance no ranking e encontrar outros especialistas e embaixadores para conversar.
Como você pode ver, há muito mais na gamificação do que vídeo games. Na Ilog nós oferecemos conteúdo gamificado e um módulo de gamificação na Plataforma Konviva que vão permitir que seus colaboradores se divirtam enquanto aprendem habilidades relevantes para o seu negócio.

2 respostas para “Cinco boas práticas em Gamificação e o Case Flytour”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *